Home         Notícias         Artigos         Quem Somos          Produtos         Serviços         Fale Conosco  
 Agronegócios (118)
 Algodão (4)
 Ambiente (43)
 Cana de Açucar (15)
 Citros (4)
 Instituições (2)
 Milho (1)
 Pecuária (3)
 Soja (27)

Saíram os custos de produção de algodão para a safra 2005/2006

Saíram os custos de produção de algodão para a safra 2005/2006

A Embrapa Agropecuária Oeste, empresa vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, localizada em Dourados/MS, publicou as estimativas do custo de produção de algodão para a safra 2005/2006 para os Estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso.
Os custos foram elaborados tendo como base os sistemas de produção de praticados pelos agricultores. Em Itaquiraí e Nioaque é predominante a produção de algodão por agricultores familiares dos assentamentos da reforma agrária, onde há uso sazonal de mão-de-obra contratada na colheita e operações mecânicas terceirizadas. No Sistema Convencional, a estimativa total em Itaquiraí é de R$ 1.823,55 e em Nioaque, R$1.848,66.
Nos outros municípios de Mato Grosso do Sul, o algodão é cultivado por médios e grandes produtores. Os sistemas são caracterizados pelo intenso uso de insumos e por cultivares que apresentam alto potencial produtivo e de rendimento de fibra. Com exceção dos produtores de Naviraí, que vendem o algodão em caroço, os demais o beneficiam em algodoeiras locais e comercializam a pluma.
Para Naviraí, o custo total no Sistema Convencional é de R$ 2.725,94 e no Plantio Direto (SPD), R$ 2.576,10. A diferença está no investimento com operações agrícolas. No primeiro, se gasta R$ 654,59 nessas operações e no SPD, R$ 528, 12. Em Maracaju, o SPD é o sistema adotado, e o custo ficou em R$ 3.729,03. Ao adotar SPD, o produtor além de reduzir seu custo final, realiza uma atividade conservacionista, diminuindo o risco de erosão. Em Chapadão do Sul e São Gabriel do Oeste são utilizadas cultivares resistentes e suscetíveis ao vírus do mosaico da
nervura forma Ribeirão Preto, para esses municípios as estimativas amparam as duas condições. A variedade resistente gera um custo de R$ 4.330,07 em Chapadão do Sul e 3.989,63 em São Gabriel. Já com a cultivar suscetível, o produtor gastará 4.484,62 em Chapadão e 4.231,40, em São Gabriel do Oeste. Os valores finais são resultados da soma dos custos fixos (remuneração da terra) e variáveis (insumos, operações agrícolas e outros). Segundo Alceu Richetti, pesquisador de Socioeconomia da Embrapa, houve reduções no custo final e ao adotar as
recomendações da pesquisa, o produtor tem um uso mais adequado de insumos e conseqüentemente, menores custo de produção e problemas ambientais. Entre as recomendações está o manejo correto de alguns herbicidas pósemergentes, podendo proporcionar uma economia de até 40% no controle de plantas daninhas. Há também a utilização de inseticidas seletivos no início do ciclo onde ocorrerá o estabelecimento de inimigos naturais da lagarta-da-maça, ressalta Richetti.
Para o controle de doenças, o pesquisador lembra que a primeira aplicação de fungicidas deve ser feita no aparecimento dos sintomas. Nas demais, se necessário, utilizar produtos que tenham modo de ação diferente para evitar problemas de resistência.
A Unidade da Embrapa em Dourados coloca à disposição também os custos de produção para algodão no Estado de Mato Grosso.

Para mais informações consulte a pasta de Artigos com as estimativas de custos completas para Algodão e Soja.

Arquivos
 estimativasdecustosdelgodao.pdf
  Tec Fertil Comércio, Representações e Serviços Ltda. Todos os direitos reservados.
Av. Benedito Storani, 95 - sala 9   -  Vinhedo  -  SP  -  CEP 13280-000  -  Fone/Fax: 55 (19) 3836-2261